27 de ago de 2012

Melancolia.





...E foi assim que descobri que a ferida não sangrava e sim matava com sua melancolia, que consumia meu peito cada vez mais á cada dia até minhas lágrimas não aguentarem ficarem caladas e gritarem de dor. Maldito seja o dia em que essa ferida brotou de uma mancha cor-de-rosa e virou uma sangrenta e dolorosa ferida negra qual consome meu eu, minha alma e minha alegria até não sobrar um único eu, para começar tudo outro vez, por qual motivo surgiu de uma única palavra, que fez um oco em meu peito, uma única atitude que o aumentou e outra que propositalmente fez com que ela abrisse totalmente, se pudesse eu a curaria, mas curiosamente você é meu medico e eu não sou mais sua paciente..."


By: Angelica Gempka.