2 de jul de 2011

Surpresa!



Ela estava na beira do prédio olhando para os carros que passavam a todo vapor, a maioria atrasados pra algum encontro, pois era à hora da madrugada preferida de seu marido.
Suas veias pulsavam como se estivessem desesperadas para sair para não passar pelo que ela pretendia fazer.

A pouco mais de uma hora, levando flores e um lingerie vermelha na bolsa pensando em como seu patrão insistiu para que ela ficasse lá, e esperasse o turno acabar, não, ela não faria isso, ainda mais no aniversario de dois anos de casamento. Mesmo que ela não tenha ganhado nada, sabia que o marido viria com alguma surpresa quando ela chegasse, ele era carinhoso e compreensivo demais para esquecer um dia tão importante na vida dos dois.
Ela até pensava em como seria o momento:
Chegaria ao apartamento à porta estaria semi-aberta á esperando e então ela ficaria em silencio caminhando pelo corredor que cheirava a rosas, ela tiraria a roupa ali mesmo e colocaria a lingerie com cuidado jogando as roupas pra cima, abriria a porta do quarto e seu marido estaria lá sentado, completamente nu esperando-a para amar, e os dois se divertiriam até o amanhecer, dizendo o quanto ele gostou que ela tivesse chegado mais cedo.

Ela chegou com a respiração elevada, abriu o portão do prédio, pegou o elevador e encontrou a porta semi-aberta do jeito que queria Eu sabia – pensou sorrindo, caminhou pelo corredor e deslizou sua roupa para baixo colocando a lingerie com calma, o corredor cheirava a um perfume de rosas -É para mim- pensou, jogou as roupas para cima que caíram na mesinha com o vaso que ela tinha colocado as flores e abriu à porta, seu marido estava lá sentado pronto para amar, até ali estaria tudo bem, se alguém não estivesse em cima dele do mesmo jeito, já o amando. Seu mundo caiu enquanto via os dois suando em sua cama gritando palavras obscenas para si. Correu para trás dizendo não para si mesma, as lágrimas deslizaram rapidamente, correu para a escada não se importando com os homens que a olhavam mordendo os lábios ou as mulheres que a observavam com desdém. Chegou ao terraço sabendo o que ia fazer, colocou seus pés na beira do precipício metálico e quando fechou os olhos para pular...
Um pensamento lhe veio em mente. Seu marido realmente veio com uma surpresa hoje, e ela tinha certeza que não era um par de asas, mas sim dois enormes chifres, voltou correndo para sua sala, pegou seu casaco comprido sem fazer barulho e se dirigiu ao elevador, talvez o chefe fique feliz que ela voltou pra trabalhar á aquela hora, ainda mais de vermelho.

By: Angelica Gempka