3 de mai de 2010

Recordações.


La estava eu...
Sentada com ele na varanda, olhando para a noite, contando as estrelas, e pensando nos anos que passamos juntos, depois de décadas, ainda nos amávamos.
Pensava em como os anos, mesmo com tanto dificuldade passavam tão rápido.
Pensava em como durante esse tempo meu corpo envelhecia, com as marcas da juventude já transformadas em cicatrizes de velhice.
Apesar do que diziam, nem sempre me sentia com essa idade, meu pensamento era jovem.
Observava como que estava feliz, com meu doce companheiro de vida.
Sempre que pensava nas minhas tristezas, as felicidades vinham juntas para calar-me.
A felicidade de ter tido alguém que me ama-se, a felicidade de um amor que jamais acabaria, a felicidade de ter a promessa de felizes para sempre.
Apesar das brigas, sempre bobas, estavamos alegres pelos dias vividos.
Por mais que a vida me passava provas para desistir de tudo, la estava ele para levantar-me e me dizer " eu estou aqui "
Pensava em como com o conhecido tempo o nosso planeta foi se acabando, e se destruindo entre as guerras que as noticias sempre faziam questão de anunciar.
Observava que com o tempo nem sempre tudo melhorou, depois de tanto destruição, quase mais nada era sempre bom, mais entre tudo, ainda haveria um resto de alegria para viver.
Me recordava da minha infância, simples e alegre, brincando com minhas bonecas de pano, feitas com tanto amor de minha vó, subindo entre as árvores para colher laranjas para sentir seu sabor doce.
Minha adolescência, onde ajudava meus pais no trabalho da roça, mais ainda sim era feliz.
E depois quando ja estava adulta, com um belo sorriso no rosto encontrei minha razão de alegría.
Pensava em onde poderia ter parado a inocencia dos jovens, que antes em paz viviam, agora eles se acabam pouco a pouco com as destruições que vivemos durantes todos os días.

Onde havia parado o respeito as pessoas de idade mais avançada.
Mais..
O tempo passou tão rápido que nem lembro quando foi a ultima vez que uma lágrima correu sobre minha face.

Minha juventude se foi para longe, o que me restara era o tempo, que cada vez mas ele me trazia marcas de alegria ou inevitavelmente de tristeza.
Depois de festas, entre as recordações de amigos, que já não estavam mais entre nós, os sorrisos de felicidade deles nunca mais saíram do meu pensamento.
E então tudo parou, só sentia um abraço entre lágrimas de dor, do meu companheiro.
Não entendia por que me abraçava tão forte com qual desespero que me fazia doer o coração.
Admirava de longe ele enxugando as dolorosas gotas que saiam de seus olhos, e me prometendo que um dia estaríamos juntos outra vez.
Me dizia que mesmo depois de décadas juntos, ainda assim ele me prometia que um dia outra vez estariamos juntos e abraçados.
Foi então que percebi que era minhas recordações que passavam junto com o último suspiro, meu último segundo, meu último adeus, com a inevitavel promessa de que seriamos felizes para sempre, e um dia estariamos juntos e sentados em uma varanda,disfrutando da nossa paz, sonhando e contando juntos as estrelas de perto.

Por: Angelica Gempka.






Angel :D